Papa Francisco visita escola na periferia de Roma

Visita se insere no contexto das Sextas-Feiras da Misericórdia

O Papa Francisco visitou nesta sexta-feira, 25, no contexto das “Sextas-Feiras da Misericórdia”, o Instituto Inclusivo Elisa Scala, uma escola estatal na periferia de Roma. O Instituto nasceu nos anos 50 e, após o aumento demográfico, a partir dos anos 70 se ampliou com mais quatro edifícios.

O Santo Padre estava acompanhado pelo presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, Dom Rino Fisichella, e foi acolhido pela diretora do local, Claudia Gentili, e por centenas de jovens que se encontravam no Instituto para as atividades da tarde.

Claudia contou ao Papa a história do Instituto que, desde outubro de 2015, está ligada à história da família Scala, cuja filha, a pequena Elisa, que frequentou o ensino fundamental de uma das unidades do Instituto, faleceu de uma leucemia aos 11 anos de idade.

Na visita, Francisco se encontrou com os pais de Elisa que, com comoção, mostraram a ele a “Biblioteca de Elisa”. A menina sempre falava com os pais sobre sua paixão por livros e bibliotecas; quando ela faleceu, foi um desejo dos pais propor à escola um projeto para realizar o seu sonho: uma sala para os livros que pudesse ser frequentada por todos os estudantes. Em 2015, nasceu, então, o espaço.

Em seguida, surgiu outra iniciativa – “Doe um livro para Elisa” – da parte dos pais Jorge e Maria. A ideia é voltada a quem quisesse contribuir com uma pequena doação de livros à biblioteca. Os textos recolhidos foram milhares, em diversas línguas, e todos com uma dedicatória a Elisa.

O Instituto, há poucos meses, teve liberação do município e do Ministério da Educação para intitular a escola à pequena Elisa.

Na visita, Francisco passou um tempo com os pais de Elisa e doou alguns livros para a biblioteca, todos com uma dedicatória à menina.

As crianças fizeram algumas canções para expressar o clima de festa e de acolhimento que a súbita visita do Santo Padre despertou. Depois de ter saudado a equipe da escola, os pais e as crianças, o Papa retornou para a Casa Santa Marta.