Papa chega ao último destino de sua 31ª Viagem Apostólica: Maurício

Francisco ficará apenas algumas horas em Maurício, onde celebrará a Missa para a comunidade católica local na parte da manhã
Pouco antes das 9h30 (horário local) desta segunda-feira, 9, com chuva e vento forte, o Papa Francisco chegou a Port Louis, em Maurício, para uma visita de um dia a bordo do B 737-800 da Air Madagascar. Tendo partido do Aeroporto de Antananarivo, foram pouco mais de duas horas de voo e 1.055 quilômetros percorridos.

O Santo Padre foi recebido pelo primeiro-ministro, Pravind Kumar Jugnauth, acompanhado pela esposa e pelo cardeal Maurice Piat, aos pés da escada do avião. Duas crianças com vestes tradicionais lhe ofereceram flores. Foram apresentadas as delegações, passada em revista a guarda de honra, entoados os hinos dos dois Estados. Não houve discursos no aeroporto.

O Papa transferiu-se ao Monumento de Maria Rainha da Paz onde preside a Santa Missa. A celebração será em francês. No altar, estarão expostas as relíquias do Beato Jacques Laval. Na parte da tarde, o Pontífice tem um encontro com as Autoridades, a Sociedade Civil e o Corpo Diplomático no Palácio Presidencial. O Papa se despede do país, no final da tarde, retornando para Antananarivo, Madagascar, de onde parte na manhã desta terça-feira, 10, com destino a Roma.

O país, também chamado de Maurícia, mas oficialmente República de Maurício ou República de Maurícia, tem uma população de 1.311.000 habitantes distribuídos em uma superfície de 2.040 km². O país inclui as Ilhas Maurícia e Rodrigues (a 560 km da Ilha Maurícia), e as Ilhas exteriores de Agalega e Cargados Carajos, esta última conhecida oficialmente como Saint-Brandon.

As Ilhas Maurícia e Rodrigues fazem parte das Ilhas Mascarenhas, junto com a vizinha Reunião, um departamento ultramarino francês. O país é membro da Commonwealth, da Francofonia e da União Africana. Lá, fala-se o francês e o inglês. A capital e maior cidade é Port Louis.

Os primórdios da Igreja Católica em Maurício remontam ao século XVII. A primeira Missa no território foi celebrada, em 1616, pelos jesuítas, mas a evangelização teve um grande impulso com a chegada dos padres lazaristas no século XVIII. A maior parte da população é hinduísta devido à imigração de mão-de-obra da Índia. Os católicos são pouco mais de 28% da população mauriciana.