BRUNA PIVATO: a inspiração da Pastoral do Surdo de Paranaguá

Uma jovem surda, com vontade de entender melhor a Santa Missa. Ela e seus amigos pediam com insistência que nas celebrações da Igreja Católica, tivesse a interpretação em Libras (Língua Brasileira de Sinais).

Esta jovem, Bruna Pivato da Mata e Silva, foi a inspiração para um trabalho difícil e dedicado que neste domingo, 08 de setembro, culminou com o 1º Encontro da Pastoral do Surdo da Diocese de Paranaguá.

O encontro foi no Santuário de Nossa Senhora do Rocio, reuniu, 21 surdos, seus familiares, interessados pela pastoral e mais 8 intérpretes de libras. Os organizadores se empenharam para promover a interação entre surdos e ouvintes. “Sabemos que existe um grande número de surdos aqui no litoral e cidades próximas, trabalhamos para atende melhor e motivá-los. Queremos transmitir a “alegria do evangelho” assim como ensina o Papa Francisco” disse Nicole Rosa, intérprete que participa da Pastoral.

O grupo reuniu-se desde manhã no salão pastoral do santuário. Após o acolhimento, conheceram a história da pastoral e assistiram o vídeo em homenagem a Bruna Pivato. O grupo participou da missa especial, celebrada pelo Padre Adão Pawlak, com 4 intérpretes de Libras.

Na parte da tarde, o encontro continuou com uma pregação sobre Maria, a encenação/interpretação da música “sou reflexo”, momentos de oração e de brincadeiras. No encerramento foram entregues os certificados de participação e uma lembrança do encontro.

A jovem Maria Herta, 25 anos, de Curitiba gostou da oportunidade de voltar ao Santuário. “Estive durante a Romaria da Juventude, no ano passado, gostei de voltar para este encontro, feito especialmente pra nós” comentou Maria Herta.

“O encontro da Pastoral do Surdo foi bonito e proveitoso”, disse Adriana Reis, uma das voluntárias que ajudou na organização. “Só foi possível com a doação de mais de 40 pessoas, com o trabalho de muitos voluntários, a disponibilidade dos palestrantes e da Reitoria do Santuário que cedeu o local.

 “Queremos realizar muitos outros encontros assim” disse, e foi apoiada pelos organizadores e dos participantes.

Serviço:

Missas com interpretação em Libras

22/09 – 19:30h – Catedral NSra do Rosário

06/10 – 19 h – Santuário de NSra do Rocio

27/10 – 19:30h – Catedral NSra do Rosário

(Box) – Bruna Pivato da Mata e Silva

Bruna foi uma defensora dos direitos dos surdos. Aos três anos de idade, perdeu totalmente a audição por sequela de uma meningite. Teve também anemia falciforme. Mesmo com as consultas médicas tomando parte do seu tempo, estudou muito e seu ideal foi participar o máximo possível nas atividades comuns às crianças e jovens.

Ela estudou no Cedap – escola especial para surdos em Paranaguá. Concluiu o ensino médio no Colégio Arthur Miranda, formou-se em Pedagogia e Letras Libras. Sempre buscava novos conhecimentos e puxava quem estava próximo, tivesse ou não, limitações.

Os empecilhos eram impulso para a superação. Seu exemplo motivava os amigos surdos e os demais a também buscar melhorias. Passou em um concurso, trabalhou na Secretaria de Educação, foi professora de Libras, sempre disposta a ajudar quem precisava.

Sua meta era tornar comum o uso de Libras, a 2ª língua oficial do Brasil, regulamentada em 2002. Católica, Bruna comentava sempre do seu sonho de criar a pastoral do surdo em Paranaguá. Faleceu aos 28 anos, em 5 de setembro, seus esforços tinham lançado a semente: no dia 20 de setembro, a comunidade surda, seus intérpretes e amigos se reuniram para participar da 1ª Missa Especial na Catedral, com a participação do Padre Wilson Czaia, um sacerdote surdo. A saudade, a emoção e as orações regaram a semente e a partir de então, com seu nome, foi iniciada a Pastoral do Surdo na Diocese de Paranaguá.

(Pascom Diocese de Paranaguá)