207ª Festa de Nossa Senhora do Rosário do Rocio, padroeira do Paraná, teve participação de vários bispos do Regional Sul 2

Considerada como a 3ª maior festa religiosa do Brasil, a festa de Nossa Senhora do Rocio terminou no último dia 16. Realizada com muitas limitações, por conta da pandemia, teve expressiva participação popular.

O Santuário Estadual de Nossa Senhora do Rosário do Rocio, localizado na cidade de Paranaguá, organizou a 207ª da Padroeira de forma diferente da habitual. Atentos às medidas sanitárias recomendadas quanto à prevenção do Coronavírus, os Missionários Redentoristas, responsáveis pela administração do Santuário, realizaram o novenário, de 6 a 14 de novembro, em oito horários diferentes a cada dia, desta forma o povo pode se organizar para participar presencialmente, sem aglomerações. Além disso, a missa das 19 horas era transmitida pelas redes sociais do santuário e da diocese de Paranaguá.
O horário das 19 contou com a participação de bispos de diferentes arqui/dioceses do Paraná: Dom José Antônio Peruzzo, arcebispo de Curitiba; Dom Bruno Elizeu Versari, bispo de Campo Mourão; Dom Edgar Xavier Ertl, bispo de Palmas-Francisco Beltrão; Dom Geremias Steinmetz, arcebispo de Londrina; Dom João Mamede Filho, bispo de Umuarama; Dom Sergio Arthur Braschi, bispo de Ponta Grossa; Dom Celso Antônio Marchiori, bispo de São José dos Pinhais e Dom Walter Jorge Pinto, bispo de União da Vitória.
Nas homilias, os bispos trouxeram apontamentos ligados ao texto da Fratelli Tutti – Sobre a Fraternidade e a Amizade Social – encíclica social do Papa Francisco, publicada recentemente. O tema da festa: “Mãe do Rocio, intercedei por nós”, chamou a atenção para as várias necessidades do povo que sofre neste tempo de doença, desemprego, violência e falta de recursos.
A missa solene do domingo, dia 15, foi presidida pelo bispo diocesano de Paranaguá, Dom Edmar Peron. Em sua homilia, ele fez referência ao 4º dia Mundial dos Pobres: “Se nós viemos aqui para estender as mãos para a imagem querida de Nossa Senhora do Rocio, nós não devemos esconder nossas mãos daqueles que precisam da solidariedade fraterna”, disse o bispo.
Sem a parte social das festas religiosas como nos anos anteriores, as comemorações de Nossa Senhora do Rosário do Rocio, em 2020, foram marcadas pela participação dos devotos em todos os horários da novena. Foi grande também a “audiência” nas redes sociais e, segundo a organização, somadas durantes os dias da festa, chegaram a um milhão de visualizações. Outro ponto forte foi a audiência das novenas na Rádio FM 104 e a participação popular nas procissões.
Foram realizadas três procissões em carreata, que contou também com muitos devotos de moto, de bicicleta e a pé. Dom Edmar Peron explicou a importância dessas procissões: “É costume e tradição fazer, a cada ano, a caminhada do Rocio ao Centro Histórico. As situações difíceis vividas dentro da pandemia suscitaram a maior confiança em Deus e também esta expressão genuína de confiança em Nossa Senhora. Isso renova a nossa fé e nos traz muita alegria”.
No dia 16, encerrando a festa, Dom Edmar acompanhou com os devotos no caminho da Catedral ao Bairro do Rocio para levar a imagem oficial de volta ao Santuário, onde foi colocada no nicho refeito e recém-inaugurado no presbitério do Santuário. A imagem de Nossa Senhora do Rocio foi inserida no “Coração de Jesus”.
(Pastoral da Comunicação da Diocese de Paranaguá / Texto: Giolete Babinski – Fotos: equipe Pascom Diocesana)